HOTELARIA DA ILHA DO SAL COM +36,5% DE DORMIDAS DE PORTUGUESES

A ilha do Sal é o topo da preferência dos turistas portugueses.

Os dados do INE de Cabo Verde indicam que a hotelaria do Sal recebeu no trimestre 4.933 turistas residentes em Portugal, com um aumento em 38,6% ou 1.374 relativamente ao período homólogo de 2018, e o seu número de dormidas subiu 36,5% ou 8.265, atingindo um total de 30.939.

A ilha do Sal foi, assim, o destino que assegurou o crescimento do turismo português para Cabo Verde no primeiro trimestre, tanto mais quanto por si só compensou as quedas na ilha da Boavista, em 44,2% ou 951 hóspedes, para 1.201, e em 43% ou 6.008 dormidas, para 7.958.

A ‘ajudar’ a tendência de crescimento do turismo português para Cabo Verde esteve também a procura na ilha de Santiago, onde se localiza a capital do país, e que por isso tem uma procura mais étnica e de viagens profissionais, que também se caracteriza por estadias médias menores.

Os estabelecimentos da ilha de Santiago receberam no primeiro trimestre 5.646 turistas residentes em Portugal, +5,7% ou mais 304 que há um ano, e tiveram um aumento das dormidas em 10,6% ou 1.123, atingindo um total de 11.733.

Santiago subiu assim a segundo destino dos portugueses em Cabo Verde, quando no primeiro trimestre de 2018 tinha sido terceiro, atrás da Boavista, que no trimestre teve uma quebra de 44,2% ou 951 turistas portugueses, ficando em 1.201, e um decréscimo das suas dormidas em 43% ou 6.008, para 7.958.

Igualmente a cair esteve o turismo português na ilha de São Vicente, com -8% ou menos 76 hóspedes, ficando em 878, e menos 18,6% ou menos 624 dormidas, ficando em 2.724.

A contribuir para anular o efeito destas quebras esteve a evolução do turismo português para o conjunto das restantes ilhas, com aumentos no trimestre em 113,7% ou 208 hóspedes, para 391, e 14,6% ou 187 pernoitas, totalizando 1.464.

 

Conheça a nossa oferta no setor alimentar